Notícias Advocacia Pinhais

Postado em 20/11/2014 13:59.
Justiça determina indenização a pescadores proibidos de trabalhar após acidente ambiental em Paranaguá
Pelo menos 200 famílias de pescadores de Paranaguá, no litoral do Paraná, devem receber uma indenização de um salário mínimo cada uma por prejuízos causados após um incêndio em janeiro deste ano em um dos armazéns do Porto do município.

Os pescadores ficaram cerca de 30 dias sem poder trabalhar em razão de um decreto da Prefeitura Municipal que impedia a pesca na região. A proibição de qualquer atividade pesqueira no mangue que dá acesso ao Rio Emboguaçu, aconteceu por causa de vazamento de produtos químicos armazenados de forma irregular no espaço incendiado de propriedade da empresa Brasmar Serviços Logísticos.

A decisão desta quarta-feira (19), determinando a indenização, foi do juiz da 2ª Vara Cívil de Paranaguá, Elvis Jakson Melnisk, em resposta a uma ação civil pública movida pela Federação dos Pescadores do Paraná, representada pelo escritório Bahr, Neves e Mello Advogados Associados.

Pelo menos 200 famílias de pescadores de Paranaguá, no litoral do Paraná, devem receber uma indenização de um salário mínimo cada uma por prejuízos causados após um incêndio em janeiro deste ano em um dos armazéns do Porto do município. Os pescadores ficaram cerca de 30 dias sem poder trabalhar em razão de um decreto da Prefeitura Municipal que impedia a pesca na região. A proibição de qualquer atividade pesqueira no mangue que dá acesso ao Rio Emboguaçu, aconteceu por causa de vazamento de produtos químicos armazenados de forma irregular no espaço incendiado de propriedade da empresa Brasmar Serviços Logísticos.

A decisão desta quarta-feira (19), determinando a indenização, foi do juiz da 2ª Vara Cívil de Paranaguá, Elvis Jakson Melnisk, em resposta a uma ação civil pública movida pela Federação dos Pescadores do Paraná, representada pelo escritório Bahr, Neves e Mello Advogados Associados.